quinta-feira, 14 de maio de 2009

Do desejo.

O que desejo é ser só tua todo o tempo
desejo a sorte de ver os dias por teus olhos
desejo beijos infindáveis nas manhãs de primavera
e muito mais o teu abraço pelas noites de inverno

Desejo, então, a constância do futuro
desejo que seja teu o ar em meu interior
Desejo ouvir de tua boca só verdades
ainda que seja eu piegas em meu desmedido amor

Saber que sempre teu desejo será meu
é o maior desejo de hei de conservar
Se porventura te perderes do que é teu
desejo ser de todo braço a te amparar

Se meu desejo se mantém por até sempre
e se a certeza toma mais e mais meu ser
Desejo, pois, que os meus olhos te protejam
para que nunca o que tu és deixes de ser


Laís Leite

terça-feira, 12 de maio de 2009

Incoerência

Dentro do que não posso ver
há mais palavras que sentido
É a meus olhos proibido
conhecer o que desejo

Soube já de teus pecados
Retratei meus sentimentos
Antes fui receio puro
hoje medo, só tormento

Não há calma desejável
Não há forma inteligível
Sempre "se" a imperar

Mas espero que se cumpra
Veja eu que desde nunca
Fez sentido meu pesar



Laís Leite