segunda-feira, 15 de novembro de 2010

DeVagar

Eu não posso o que vejo
É tua boca a mais incerta de provar?
Eu posso um só caminho

Vi teus olhos
Teus pêlos
Tuas mãos
Vibrantes
Eu quero
Quero

Eu só posso o que tenho
E não me basta, nunca bastará
Mais é melhor?

Eu te escrevo os versos
E minhas noites são tuas


Laís Leite