quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Da saudade.

Não é por gotas que a saudade me insiste em chegar
Vem por rios e torpes chuvas
Pela terra
Pelo ar

Não é por medo que saudade vai embora sem meu bem
Vai por vir felicidade
Sorriso certo
Amor além

Não é sentida a falta dela, da saudade indesejada
Sinto falta, sim, dos beijos
Dos abraços:
Gargalhada.


Laís Leite

5 comentários:

Nelson disse...

"Não é por gotas que a saudade me insiste em chegar
Vem por rios e torpes chuvas
Pela terra
Pelo ar"


achei legal isso

"Não é sentida a falta dela, da saudade indesejada
Sinto falta, sim, dos beijos
Dos abraços:
Gargalhada."

e não seria saudade a falta dos beijos e abraços?
paradoxo romântico.


:*

Lah. disse...

sim sim ^^
mas a questão é o não sentir saudade da saudade, mas ter saudade ainda assim...

^^

;*

Mário da Mata disse...

Achei bem simples, bem feito, e bem completo. Não é dos seus melhores mas tem um simbolismo interessante. Acho que se tivesse feito em mais tempo e um pouquinho mais trabalhado tinha ficado 100%.
Bjo lah.

Francisco Jamess disse...

moça, você escreve muito bem.
estou usando o scroll pra ler os textos anteriores, mas não vou ficar comentando: "lindo." "muito bom." "belo texto." para cada um deles.
não sou do tipo que tem uma opinião sobre cada verso de outro poeta, mas posso dizer que gostei da sua poesia.

abraço.

p.s: gostei do "os olhos do meu amor".

crap disse...

"Não é por gotas que a saudade me insiste em chegar
Vem por rios e torpes chuvas
Pela terra
Pelo ar"

ela vem por todo canto, pelos cantos e pelo meio e por cima e por baixo, ela nos cerca. é incrível isso.