sábado, 7 de fevereiro de 2009

Vida

Não há vida que baste quando a vontade é de nada ser
Os passos infindáveis no vazio se perdem todo dia
As lembranças que trago não são minhas, não são minhas

[Minha interna plurialma hoje muda se transforma
Tão eterna quanto beijos se levanta pluriforme
- Não há rio que chegue ao mar com suas gotas todas; eu digo]

Não grite verdades ao que sempre já soube
Ele sabe, ele sabe; e ele perdoa, sorria
E erre mais: o perdão é eterno, externo, incurável

Sinto teus olhos como nuas palavras
Não vejo neles mais do que já alegues haver
E se houver? Se o mais houver?

O mais é maior que qualquer conhecido
O mais é peça obscena, é ponto de vidro na areia do caos
O mais é soturno qual o pranto de velha
O mais é noturno qual a noite de inverno, pois não

- Me ouça:

Transforme em short a saia plissada,
saia na rua tão completamente desnorteada
que haverão de te perguntar por que motivo saístes.

Responda que foi a aurora:
Te chamou um instante cá fora
para dela aproveitar o odor do jasmim.

E ainda que não te acreditem
verão semblante cativo,
verão em ti o teu fim.

Corra então pela rua
e grite, fazendo-se nua,
que a vida não mais seja assim.

E veja que espanto, que louca!
A vida beijando-te a boca
Arrastando-te pro cais, enfim.


Laís Leite

6 comentários:

Nelson disse...

foooda!

tipo

"Transforme em short a saia plissada"

isso foi tão... tão, véi!

mas depois o final é foda!

e claro, "ponto de vidro na areia do caos" é FOOODAAA!!!

beijo!

crap disse...

"Não há rio que chegue ao mar com suas gotas todas"

uou. foda foda foda

Luminosidade. disse...

é verdade, a vida tem disso tudo, e tem aqueles, como nós, que tentam, à toa, compreender seus mistérios! :T


obrigada, adorei o teu também!
parabéns!

beijos.

Luminosidade. disse...

nem fale... o que me doi também é o frequente sem trema, o para (verbo) sem acento, e todas as outras novas regras!
hsuahsoasuahusha...


sobre a mentira, tudo ao nosso redor é falso, por mais difícil que seja admitir. :T

Sarinha disse...

FOOOODA! lindo demais.
"E veja que espanto, que louca!
A vida beijando-te a boca
Arrastando-te pro cais, enfim."

aah, e Parabéns! :)
:*!

Georgina disse...

Ah, Lah, eu bem que tentei destacar O VERSO mais bonito.. mas ela está toda tão linda que nem ousei..

Uma sintonia linda essa que você fez!

Beeijo!