quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Das dores

Ah, o braço dói!
E o rosto todo e a alma, junto
E mesmo tola já não me cabe jugo
Felicidade acaba por tomar meu ser

Sorrir de medo também não me atrai
Somos carne e pêlos, juntos num só
Somos canto e zelo tomados de pó
Não vês a janela aberta, as flores que nascem?

Apesar das fechadas cortinas
O vento ainda me bate
Mas fecho os olhos à amarga dor

E a noite tão certa declina
Os traços não marcam a sina
De quem sozinho ganha o sol.


Laís Leite

5 comentários:

crap disse...

"Somos carne e pêlos, juntos num só"
e eu adoro isso, sério.

Xinha disse...

ADOREI! sério mesmo, muito boom
: ]
bem sensível e tal

;* Lah!

Mário da Mata disse...

Particularmente o inicio foi estranho a parte do braço pareceu meio sem nexo só fui entender depois. Mas o final...Que final liiiiindo!. Tão triste e solitário e angustiante que soa lindo !!!! Como eu adoro as coisas sós.

"E a noite tão certa declina
Os traços não marcam a sina
De quem sozinho ganha o sol".

Quantos sóis!!! Eu tenho pequenos arrepios de alfinetes na leitura dessa ultimas linhas. Muito bonito. Você nessa inspiração vá guardando algumas coisa pra produzirmos juntos coisas musiquisticas felizes, ou não necessariamente felizes mas felizes por serem produzidas. Pois é lah, mais um texto massa.
Make it work, lah girl!

laerço dos santos disse...

Os Dois Caminhos


O mundo é muito belo, atrativo
Belezas e riquezas, sempre oferece;
Levando o homem sempre ao abismo;
Seguindo em seu caminho, alí perece
2
Mas O Mestre Jesus, a todos avisava
Existir dois caminhos: O bom, como o mau
Pra seguir-mos o Estreito, exortava,
Sendo úinico Camiho Pra terra divinal!
3

Quem o caminho largo segue é o carnal,
É da obra da carne,"inveja e maldição"...
Quem segue-o só pratica o desamor.
4
O caminho excelente: "fruto espiritual"...
Exercitando o bem, de amor no coração,
No caminho estreito;Seguindo ao Senhor!


Autor: Laerço dos Santos

laerço dos santos disse...

Lah, voltei a visitar sua página de lindos poemas,e deixei meu singelo soneto perdido entre os lírios floridos dos seus.
Meu sincero abraço....

Laerço.