sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Da sorte

Santa seja eu, em meu esforço comunal
Santa seja ela, em sua ignorância bestial

Caia sobre mim o céu de negras flores imoladas
Caia sobre ela o véu de pureza abençoada

Grite em meus ouvidos o que desejo eu gritar
Chore minhas gotas de impuro sangue a jorrar

[Minha sina é não ter sina que se ligue com a sua
Minha alma não vazia fecha os olhos e te procura]


Trate seus cabelos com as línguas mais perversas
Tire dela o ódio e ponha em si tal peça

Toque minha garganta e dela retire o ar
Beije seus pés, meu corpo a berrar

Tranque minhas letras em fogo eterno e vazio
Acaricie-lhe as pernas, fitando seu olhar sombrio

[Minha sina é não ter sina que se ligue com a sua
Minha alma não vazia fecha os olhos e te procura]

Olhe em meus olhos e veja meu sonhar
Beije minha boca e sinta o luar

Vá em sua casa e deite em sua cama
Encare sua pupila e diga que a ama

Dance minha música naquele antigo salão
Leia com ela os livros achados em meu porão

[Minha sina é não ter sina que se ligue com a sua
Minha alma não vazia fecha os olhos e te procura]

Sou das letras e dos sonhos, da brancura e do luar
Sou da colcha quente e macia, dos dedos e do mar.



Laís Leite

9 comentários:

crap disse...

"Leia com ela os livros achados em meu porão"

acho que nunca diria "Leia com ele os livros achados em meu porão".
ia ser concordar com traição. =\

xinhaa disse...

que lindo Lah!!
gostei taanto
:D

beeijos pequena!

'Pierquim disse...

Minha sina é não ter sina que se ligue com a sua




txa maderaaaaa!
essa foi foda =~~

Sarinha disse...

"Sou das letras e dos sonhos, da brancura e do luar
Sou da colcha quente e macia, dos dedos e do mar. "

Lindo! só achei essa palavra!
;*!

Júlio disse...

"Tranque minhas letras em fogo eterno e vazio"

Eita, caralhos! Quiçá (é tão legal falar essa palavra) o melhor poema que eu já li de você. ^^

Será que a Tati ainda concorda em seus textos terem um ar de leveza? =P

Mas sério, Laís, achei muito bom, muito bom mesmo! Registre esse! xP

Praticamente uma concretista (o que deu o "tchan" no poema foi justamente a variação do tamanho da letra dos versos. =D

Georgina disse...

[Minha sina é não ter sina que se ligue com a sua.
Minha alma não vazia fecha os olhos e te procura]

Meu irmão, massa!
Daria uma música fácil, fácil!

=D

xêeeroo

Nelson disse...

mermão laisinha...
esse foi loucura viu?!
foi um lado seu que nunca vi...

mas também aprovo!

tantas pessoas, tantas letras, tantos sentidos...

mto foda!!!

:*

Lah. disse...

é que eu tava num dia do mal ;P

Mário da Mata disse...

Pois dias do mal te fazem muito bem. Como já falei com vc é um texto muito diferente do que eu já tinha lido das suas produções e considero um viés ainda assim assaz aprazível degustável engolível. Gostei do seu lado reverterioso. Gostei de muitas partes mas saliento:
"Grite em meus ouvidos o que desejo eu gritar"
Pq a vezes dá vontade de gritar. E o grito naum pode só ecoar dentro, tem que explodir, nem que seja a explosão do outro em nós.
Muito massa lah, qualquer outro comentário que eu faça seria reflexo do que já lhe disse anteriormente.
Então beijos e eu vou ler mais coisas aqui.